O vendedor de conselhos

O coração saltava-lhe à boca. Nunca fora desequilibrado quanto à assuntos emocionais, mas dessa vez se via perdido. Tantas outras passaram pelo seu caminho, tantas ainda poderiam vir. Mas agora ele se sentia preso. Tinha algo mais. Tinha algo mais ali, com aquela garota, algo que estava além de seu limitado compreendimento. Entre tantas amantes, porque aquela, justo aquela, tinha lhe chamado tanta atenção? A pobre garota nunca fora namoradeira, era uma moça de família. Seus cabelos cacheados balançavam ao vento, seus olhos brilhavam como os de uma criança e seu sorriso mostrava que ele teria que mudar por ela. Com medo desse sentimento, foi procurar Otávio, o vendedor de conselhos:
- Otávio, eu não sei o que fazer. Me sinto tão atraído por uma garota, eu nunca me prendi a alguém assim! O que devo fazer? Que sentimento é esse?
Otávio não exitou:
- Ora, meu garoto, isso é só o amor. O verdadeiro e único amor! Algo que vai lhe fazer sofrer, lhe fazer chorar. Algo que vai lhe fazer sorrir, lhe fazer feliz, lhe fazer bem. Isso é o amor, cirança. Um paradoxo eterno. Algo que vai fazer você se sentir único. Abra o coração, jovem. Abra o coração para sua amada! Diga-lhe as palavras que tens de dizer e leve-a ao lugar mais bonito que estiver ao alcance dos dois. Apenas ame-a e você vai entender cada palavra que lhe disse!

1 comentários:

- camy by camy 25 de junho de 2010 20:56  

adorei *-*

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
“A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.”