Um espelho para o sol.

Caminhava pelos cantos, com medo de ser atropelado. Já estava andando à dias, e não chegava. Não chegava nunca! Parecia que o destino simplesmente havia desaparecido. Suas pernas não podiam mais suportar o peso de seu corpo. Seus olhos refletiam o brilho de uma mente genial ofuscada pela fadiga. O problema ali não era como ser. Era o que ser.

Continuou, cambaleando, seu caminho. Nem se importava mais em pedir carona, pois, se lhe dessem, teria que explicar para onde ir. E ele não sabia. Nunca soube. Seguia algo que não seria capaz de explicar. Seguia algo maior. Seguia sua sombra.

Faminto, pensou em desistir tantas vezes. Não importaria se o tivesse feito, ninguém sentiria falta. Mas ele, desistir? Era contra as regras do jogo. Sob o canto dos pássaros e os ruídos dos carros que passavam, ele prosseguia. Não procurando um fim, não procurando mais um destino. Se procurando.

Completamente perdido, fingia saber o que estava fazendo. fingir pra quem? Era ele contra o resto do mundo. Sua decepção aumentava a cada milha acumulada. Sedento. Faminto. Fatigado.

Su visão se embaçou e, depois de lutar muito contra a tontura, caiu. Um baque só, era disso que ele precisava. Um forte baque. Finalmente chegara ao seu destino. Nada lhe faltava mais. Ah, o tão merecido descanço eterno!

3 comentários:

Love and Peace, or else... 4 de junho de 2010 08:33  

O término foi trágico, doeu o coração!
Muito bom, meus parabéns.
Às vezes seguimos nossa própria sombra sem rumo algum... E ao cair da noite a sombra desaparece, as estrelas brilham sobre nossas cabeças e então enxergamos o que o sol tanto escondeu... O brilho dos nossos corações, cintilantes como estrelas.

Boa tarde.

leticia'swords 4 de junho de 2010 17:01  

Muito bom o texto, você escreve muito bem! Etou te seguindo. Fiz meu blog ontem, vc poderia me ajudar avaliando meus textos? ;*

Rafael 4 de junho de 2010 18:52  

O texto tá muito bom, o desfecho que dá um pouco de dor em quem lê. Comecei a seguir seu blog, vai em frente, pelo jeito vem mais coisa boa por aí
Abraços!

Postar um comentário

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto
“A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade.”